Um pediatra para Madagáscar

pediatra_madagascar

Madagáscar é um país com uma elevada taxa de incidência de pobreza, sendo bastante afetado pelas alterações climáticas. Na região, a situação de extrema pobreza adicionada às condições socio ambientais favorece a presença de doenças como a Tuberculose e outras doenças pulmonares, Malária, parasitoses intestinais e dermatológicas, doenças gastrointestinais e oculares, odontológicas e otorrinolaringológicas. Verifica-se também na região elevadas taxas de desnutrição infantil, seja aguda ou crónica.

Face a esse contexto, entre 2014 e 2015, a AMI apoiou a implementação de um serviço de radiologia no centro de saúde, com 15.000€, assegurando os custos de transporte e instalação do equipamento e a formação de pessoal técnico para o funcionamento do serviço. Já em 2016 e 2017, o apoio da AMI consistiu no financiamento com 14.656€ de equipamentos para sistema de aspiração e rampas de gases para anestesia cirúrgica, bem como a formação de pessoal para utilização dos mesmos, na unidade para pequena cirurgia do centro.

No âmbito do programa PIPOL (Projetos Internacionais em Parceria com Organizações Locais), através do qual a AMI apoia e financia projetos de organizações locais – numa ótica de capacitação em gestão de projetos e desenvolvimento de competências – em diversos sectores como saúde, educação, segurança alimentar, associativismo, entre outros, foi estabelecida uma nova parceria com a Change Onlus para a melhoria técnica do serviço de saúde infantil, com envio de um médico pediatra para o terreno em 2019.

A Change Onlus Madagáscar é uma pequena organização local sedeada em Ampefy-Andabise, na região de Itasy, a cerca de 140 km da capital Antanarivo, com a qual a AMI mantém uma parceria há vários anos. A organização gere o Centro de Saúde St. Paul d’Ampefy-Andasibe construído em 2014, com valências na área da pediatria, neonatologia, ginecologia, odontologia e oftalmologia.

Desta feita, a área de intervenção desta missão será centrada na pediatria. A Change Onlus reportou à AMI a sua necessidade de integrar temporariamente no Serviço de Pediatria um médico pediatra expatriado com experiência, com o objetivo de colaborar com o mesmo na melhoria de procedimentos técnicos e na capacitação de um médico pediatra local que assegura atualmente o serviço da especialidade sozinho.

Face a esta necessidade, a AMI irá enviar um médico pediatra por 3 meses, entre setembro e dezembro de 2019, que terá como principais funções a definição de critérios de performance no serviço de pediatria, o apoio ao diagnóstico e tratamento diferenciado de doenças endémicas das crianças, o planeamento e controlo de atividades de pediatria nas aldeias através de clínica móvel, o controlo de protocolos de avaliação do centro nutricional e formação da equipa de nutrição, entre outros.

Os beneficiários últimos desse projeto são cerca de 6.000 crianças da aldeia de Ampefy-Andabise, sendo o grupo-alvo direto o pessoal de apoio pediátrico do Centro de Saúde.

Este projeto tem um custo estimado de 7.000€

 

A AMI envia voluntários internacionais em áreas técnicas especializadas, como é o caso deste pediatra que irá para Madagáscar, sempre na perspetiva de capacitação dos parceiros locais, sendo que a intervenção médica é focada na formação de pessoal e na melhoria de procedimentos de gestão em saúde, e nunca numa perspetiva de substituição.

Desta forma, e com este projeto em particular, a AMI está a contribuir ativamente para a Agenda 2030, não apenas através do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3 – Saúde de Qualidade -, mas também através do ODS 17 – Parcerias para a Implementação dos Objetivos.