“Bolama Ka Pudi Pirdi Tina”

Guiné-Bissau, Ilha de Bolama

Como posso ajudar nesta missão?

Donativo
Partilhar:
A sua pequena ajuda será uma grande ajuda para todos. Está ao seu alcance fazer a diferença!

age · muda · integra


Início: Dezembro 2022
Fim: Novembro 2023
Custo: 10.000€ (100% financiado)
Apoios: Camões, IP (no âmbito do instrumento Diversidade, integrado do projeto PROCULTURA PALOP-TL)
Parceiros: Associação Pro-Bolama

Beneficiários: Diretos: 68 membros dos grupos musicais de Tina com atividade na ilha de Bolama Indiretos: 4.664 habitantes (2338 do sexo masculino e 2326 do sexo feminino) residentes na ilha de Bolama

ODS:

Preservação do património e dinamização do setor cultural da Guiné-Bissau, através da revitalização da prática da Tina na ilha de Bolama.

O projeto “Bolama Ka Pudi Pirdi Tina” (Bolama não pode perder a Tina), destina-se a contribuir para a preservação da prática da Tina na ilha de Bolama, um território da Guiné-Bissau onde a AMI intervém desde o ano de 2000. A Tina designa simultaneamente um estilo de música, um instrumento e uma dança, constituindo não apenas uma forma de diversão através da percussão e movimento, mas, e acima de tudo, um elemento de cerimónias familiares e comunitárias, um meio de partilha de narrativas do quotidiano e um instrumento de intervenção. Particularmente na ilha de Bolama, esta prática artística assistiu a um grande florescimento e adquiriu uma especial relevância na vida cultural da comunidade. Nos últimos anos, no entanto, tem-se assistido a uma acelerada extinção dos grupos de Tina da ilha, e consequentemente, a uma perda de um importante património cultural imaterial.

Assim, o projeto visa contribuir para a proteção do património e dinamização do setor cultural na ilha de Bolama, através da revitalização da prática da Tina, e pretende-se 1) constituir um inventário da prática da Tina na ilha de Bolama e reunir testemunhos orais e conteúdos audiovisuais sobre esta prática; 2) capacitar grupos e artistas de Tina para gestão e programação cultural e para um trabalho de forma concertada; 3) disseminar a prática da Tina junto da comunidade juvenil da ilha de Bolama e da população Guineense.

No conjunto das atividades propostas, destaca-se a recolha de memórias orais e de registos audiovisuais associados à prática da tina; a edição e reprodução de um manual com a história e descrição desta prática na ilha de Bolama e a gravação em estúdio de faixas musicais; a constituição de uma associação de artistas de Tina de Bolama e a realização de sessões de capacitação; a realização de programas radiofónicos, espetáculos e workshops para disseminação da prática. Este projeto iniciou em dezembro de 2022, tem uma duração de 12 meses e um orçamento de 10.000€, 100% financiado pelo DIVERSIDADE, um instrumento do projeto PROCULTURA PALOP-TL (ação financiada pela União Europeia, cofinanciada e gerida pelo Camões, I.P. em parceria com a EUNIC).

Conheça outras missões e saiba como participar e ajudar em cada missão!

A sua pequena ajuda será uma grande ajuda para todos. Está ao seu alcance fazer a diferença!