Segurança alimentar poderá estar em risco para metade das pessoas apoiadas pela AMI

O apoio alimentar continua a ser uma das necessidades mais apontadas pelos beneficiários da AMI em Portugal.

Desde o início do ano, a AMI apoiou através dos seus equipamentos sociais em Portugal, mais de 7.000 pessoas em situação de pobreza e exclusão social. A distribuição de géneros alimentares foi o serviço social da AMI mais procurado, tendo sido apoiadas 3.967 pessoas (53%), seguindo-se o apoio social, que chegou a 3.791 pessoas (51%), e o roupeiro, a que recorreram 1.612 pessoas (21%). Os refeitórios da AMI e a entrega de refeições ao domicílio, através do Serviço de Apoio Domiciliário da AMI, permitiram servir 126.168 refeições a 1.245 pessoas.

Durante o período de confinamento, o número médio de refeições por utilizador aumentou fortemente, tendo passado de 37 refeições por pessoa no primeiro trimestre do ano para 60 refeições por pessoa. Também o serviço de distribuição de géneros alimentares apoiou, neste período, 2.931 pessoas, um aumento de 19% em relação ao período anterior, resultado da criação de respostas que visaram o apoio alimentar e a proteção dos grupos mais vulneráveis como as famílias monoparentais, idosos e população mais isolada e de saúde mais frágil. Por seu lado, o Serviço de Apoio Domiciliário registou, igualmente, um aumento significativo do número de refeições entregues aos beneficiários, num total de 4.586, um acréscimo de 46% em relação aos primeiros meses do ano.

Na época natalícia, para além do acompanhamento social que disponibiliza ao longo de todo o ano, a AMI procura fazer chegar aos beneficiários dos Centros Porta Amiga um cabaz de Natal com uma variedade de produtos tradicionais da época. Este ano, serão apoiadas 1904 famílias em todo o país.

A alimentação é uma necessidade básica que, não sendo resolvida, condiciona todo o trabalho de intervenção social. Trata-se, neste momento e para muitas famílias portuguesas, de uma questão de segurança alimentar que poderá estar em risco e que é essencial para que se consigam resultados efetivos na melhoria das condições de vida dos beneficiários.