Malária mata mais de 400.000 pessoas por ano

malaria_alfredocunha

A cada 2 minutos, uma criança morre devido à Malária.

No dia mundial da Malária, é imperativo não esquecer que, pese embora seja fulcral envidar todos os esforços para mitigar a propagação da Covid-19, é igualmente fundamental que uma das doenças mais esquecidas no Mundo, a Malária, não seja 
negligenciada.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, “A pandemia Covid-19 está a testar a resiliência de sistemas de saúde robustos por todo o Mundo e sublinha a importância crucial de reforçar a prevenção, deteção e tratamento da Malária”.

Em 2018, registaram-se cerca de 228 milhões de casos de malária a nível mundial, 93% dos quais no continente africano.

As crianças menores de 5 anos continuam a ser severamente afetadas pela malária, correspondendo a 67% das mortes a nível mundial em 2018. Já o continente africano é o que regista também a maior taxa de mortalidade por causa desta doença (94%).

Alguns dos países onde a AMI atua fazem parte do grupo de 6 países que regista mais de metade dos casos, nomeadamente Uganda, Costa do Marfim, Moçambique e Níger, cujas infraestruturas de saúde são demasiado frágeis e não conseguem dar uma resposta adequada. A prevenção, deteção e consequente tratamento adequado é o suficiente para evitar que um caso moderado de malária evolua para um quadro severo da doença, que muitas vezes, se revela fatal.

 

Foto: Alfredo Cunha