Faltam pouco mais de 50 assinaturas para fazer do dia 3 de outubro o “Dia Europeu da Memória e do Acolhimento”

WALL_NoMoreBricksintheWall_capitaleventportugal_01

No dia 3 de outubro de 2019, o Largo de S. Domingos, em Lisboa, foi palco de espetáculos de dança, de exposições de fotografia, de tertúlias, de mobilização da sociedade civil, de muros transformados em pontes. Um movimento registado por todos os que passaram pelo local, fosse através do telemóvel, da máquina fotográfica, da partilha nas redes sociais, da cedência de uma assinatura ou do download de uma app.

O relógio da Igreja de S. Domingos assinalava 9h45 quando um grupo de 20 bailarinos da escola “Art of Dance by Colin”, irromperam pelo Largo, protagonizando uma coreografia inspirada nos desafios que enfrentam os migrantes, assinada por Cifrão e Colin. Estava dado o mote para assinalar o “Dia Europeu da Memória e do Acolhimento” em Lisboa.

Em 29 capitais europeias, no âmbito da campanha “No More Bricks in the Wall”, financiada pela União Europeia e promovida pelo projeto Snapshots from the Borders, decorreram iniciativas em simultâneo com o objetivo de assinalar a data, recolher as 10.000 assinaturas necessárias para fazer chegar às instituições europeias a petição para tornar o dia 3 de outubro, o “Dia Europeu da Memória e do Acolhimento”, e promover o conhecimento informado dos cidadãos europeus sobre a migração global e o seu impacto.

Na capital portuguesa, o evento foi liderado pela AMI, tendo contado com a presença de diversos atores da sociedade civil, bem como dirigentes das diversas dimensões políticas, culturais e religiosas no país, nomeadamente, os vereadores dos pelouros da Educação e Direitos Sociais, Habitação e Desporto da Câmara Municipal de Lisboa, o Alto-Comissário para as Migrações, a Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal, o Presidente da Comunidade Islâmica de Lisboa e o Presidente da Comunidade Hindu de Lisboa, bem como representantes diplomáticos de várias embaixadas, jornalistas e outras personalidades.

Roberta Rugheti, coordenadora de projetos na AMREF Health Itália, a ONG que liderou a campanha europeia “No More Bricks in the Wall”, deslocou-se também a Lisboa para participar nas atividades programadas pela AMI para assinalar o “Dia Europeu da Memória e do Acolhimento”.

O Presidente da AMI, Fernando Nobre, assinalou a abertura do evento manifestando a importância de definir políticas claras de acolhimento e integração baseadas no respeito mútuo e na reciprocidade, para fazer face aos crescentes e inevitáveis movimentos migratórios.

Ao longo de todo o dia, voluntários da AMI abordaram os que passavam pelo local, convidando-os a assinar a petição para fazer do dia 3 de outubro, o “Dia Europeu da Memória e do Acolhimento”. O objetivo de recolher 10 mil assinaturas está a 50 assinaturas de ser alcançado. A petição continua a decorrer em https://you.wemove.eu/campaigns/facamos-do-dia-3-de-outubro-o-diaeuropeu-da-memoria-e-do-acolhimento para todos os que queiram associar-se a esta causa e honrar esta data.