Faça a diferença!

Caro(a) AMIgo(a),

Quando em Portugal ouvimos falar dos primeiros casos relacionados com a Covid 19, estávamos todos longe de imaginar o impacto que este vírus iria ter na vida de todos nós. Todos, sem exceção, aprendemos novas formas de estar e de comunicar. Ficámos mais fragilizados, tomámos consciência que a nossa sociedade humana dificilmente voltará a ser a mesma.

Ciente das suas responsabilidades e da razão pela qual foi criada, a AMI reagiu de imediato e continuou não só a garantir todo o apoio à população vulnerável que recorre aos seus serviços, mas aumentou a sua resposta.

Estamos a viver momentos difíceis. A Emergência Humanitária também está hoje nos países ditos desenvolvi-dos. Mas a AMI não vai baixar os braços, tanto em Portugal como no Mundo. Esta é a nossa missão! No entanto, só com a sua ajuda conseguiremos dar resposta àqueles que têm contado com esta instituição para melhorar as suas condições de vida no que toca à sua dignidade e garantia dos seus direitos fundamentais. Só com o seu apoio conseguiremos estar preparados para lidar com o drama sócio-económico com que muitas famílias se vão deparar nos próximos tempos.

 

 

Conto, mais do que nunca, com a sua solidariedade neste momento, para que juntos consigamos: Agir, Mudar e Integrar.

 

Um abraço amigo,

A FUNDAÇÃO AMI

Fernando de la Vieter Nobre, Fundador e Presidente

 

COVID-19

A nossa ação

 

Em Portugal

• Os atendimentos de acompanhamento social, o serviço de apoio domiciliário continuaram, e as equipas de rua de atendimento à população em situação de sem-abrigo permaneceram ativos e em estreita colaboração com as instituições que trabalham em rede no apoio a esta população.

• O serviço de refeitório foi reduzido presencialmente, respeitando todas as normas de segurança, privilegiando-se a entrega de refeições para levar.

• Os Abrigos Noturnos de Lisboa e Porto passaram a estar abertos 24 horas por dia, permitindo o confinamento dos seus residentes.

• O novo projeto idealizado “Os amigos são para as ocasiões” permitiu manter os beneficiários de alto risco em confinamento, levando-lhes a casa todos os bens de consumo e higiene necessários.

• A pedido das estruturas oficiais, fomos chamados a alargar o nosso apoio a mais 1272 pessoas, nas regiões de Lisboa, Almada, Porto e Vila Nova de Gaia.

Ainda em Portugal, a AMI deu resposta a vários apelos de estruturas de saúde e outros grupos, entre os quais:

Hospital de Santa Maria — Lisboa: Donativo de €20.000 para a compra de álcool e equipamento de proteção individual (EPI), a pedido da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.

Hospital de São Bernardo — Setúbal: Cedência de duas tendas para triagem de suspeitos / infetados com Covid-19.

 

A nível internacional

A Fundação mantém todos os apoios atribuídos às organizações e associações locais, e aceitou redire-cionar e/ou reforçar os esforços, a pedido de alguns dos parceiros.

Guiné-Bissau: doação de equipamento de proteção individual ao Centro de Saúde de Bolama; formação destinada a técnicos dos Centros de Saúde, em Quinara, acerca dos riscos e boas práticas relaciona-dos com o novo Coronavírus.

Índia: Distribuição de alimentos e bens essenciais a 20 famílias de cerca de 30 aldeias.

Sri Lanka: Apoio a 750 famílias da comunidade, através da distribuição de kits alimentares, e apoio financeiro adicional à Sri Lanka Portuguese Burgher Foundation.

Senegal: Apoio financeiro para aquisição de equipa-mentos de proteção e higienização em vários postos de saúde e centros de formação profissional cons-truídos com o apoio da AMI.

Chile: Apoio financeiro ao Hospital Roberto del Rio, gerido pela Fundação Auxílio Matés, para aquisição de equipamentos clínicos para tratamento de pacientes com insuficiência respiratória infetados pela Covid-19.

Bangladesh: Nova parceria com a organização local BISAP, que além de incluir distribuição de bens alimentares e instalação de equipamentos de higienização nas comunidades, também prevê a produção de materiais de comunicação e ações de sensibilização junto das populações refugiadas (Rohingya) e das comunidades de acolhimento da região de Chattogram.

Moçambique: Sensibilização sobre as medidas de prevenção da pandemia COVID 19 a 13.133 utentes do Centro de Saúde da Manga Nhaconjo e a 9.978 alunos de 12 dos bairros abrangidos por este centro de saúde; distribuição de sabão para lavagem das mãos a 300 agregados familiares e de desinfetante de água para consumo a 160 agregados familiares; entrega de 17 caixas de sabão, de 108 garrafas de desinfetante de água para consumo, 500 máscaras e 75 frascos de álcool gel (400ml) ao Centro de Saúde da Manga Nhaconjo, na Beira.

Brasil: Apoio financeiro à Associação Metamorfose, sediada no distrito de Xerém, município de Duque de Caxias, Rio de Janeiro, para confeção e distribuição de máscaras faciais de tecido aos “postos de troca”, nomeadamente farmácias, supermercados e outros estabelecimentos de comércio local.