Entrega dos diplomas do projeto “Costura Ponto Com”

Aliar competências pessoais e sociais ao desenvolvimento de conhecimentos técnicos e profissionais, com vista à sua inserção na vida social e profissional, proporcionando ferramentas que aumentem a sua empregabilidade, a criação do próprio emprego e meios económicos diferenciados que proporcionem o seu sustento, assim como o da própria família.

Numa frase, esta é a essência do projeto “Costura Ponto Com”, que juntou a AMI e a Rosa & Teixeira para formar beneficiários dos Centros Porta Amiga (CPA) de Chelas e Olaias em idade ativa. Durante 3 meses, os 6 alunos selecionados do projeto Costura Ponto Com receberam formação certificada em costura.

A originalidade do projeto é a opção pela formação nos ofícios tradicionais em vias de extinção, conseguindo-se assim fazer uma passagem de testemunho e a manutenção de profissionais habilitados a desenvolver esta profissão. Para tal, antigas costureiras da Rosa & Teixeira contribuíram também com o seu saber e mestria através de apoio semanal aos formandos, que realizaram a formação com o apoio da Companhia das Agulhas.

O acompanhamento fotográfico da iniciativa esteve a cargo de três jovens participantes do projeto de intervenção social promovido pela Fundação AMI “Um click pela inclusão social“.

No dia 17 de dezembro, decorreu a cerimónia oficial de entrega dos diplomas, sendo que, posteriormente, as formandas foram, ainda, premiadas com uma máquina de costura.

Otília Pinheira foi uma das formandas. Tem 53 anos e está desempregada há três. Nunca trabalhou na área mas “vi nesta iniciativa, a oportunidade de adquirir novos conhecimentos e reiniciar a minha atividade profissional”. Se tiver que fazer um balanço, dificilmente, seria mais positivo: “Gostei muito e gostava de por em prática tudo o que aprendi”.

Para a Companhia das Agulhas, uma escola certificada de costura e malha “Foi um grande prazer abraçar este projeto da AMI e da Rosa & Teixeira. Foi muito interessante poder ensinar as artes de antigamente a este grupo fabuloso de mulheres, muito motivadas e abertas à aprendizagem”. Uma reflexão que deixa também espaço a renovadas expectativas: “Foi bonito ver a evolução delas e vemos em todas, um futuro”.

Antigas costureiras da histórica casa de alfaiataria foram as mentoras das formandas “Tínhamos a expectativa de ensinar e de contribuir com o nosso conhecimento e a verdade é que elas foram superadas e acho que foi uma coisa valiosa. É importante poderem usar o que estiveram a aprender para poderem ter uma vida diferente”

Na opinião de Pedro Castro, administrador da Rosa & Teixeira, o Costura Ponto Com nasceu da nossa vontade para poder colaborar para uma sociedade melhor e do convite da AMI. Estou muito satisfeito de o ver agora realizado. É um projeto que espero que continue e estou confiante de que não vai parar por aqui”.

Uma vontade que o Presidente da AMI, Fernando Nobre também partilha. “Este projeto de inovação social representa uma sinergia entre uma empresa-cidadã e a AMI. Creio que conseguiu transformar a vida de seis pessoas. Graças a esta formação, de agora em diante vão poder utilizar estas ferramentas para poderem desenvolver a sua vida profissional de outra forma”.