Comunicado

Na sequência das notícias que têm vindo a circular, cumpre a Fundação AMI esclarecer:

  1. A Fundação AMI interveio ativamente desde o primeiro momento desta crise mundial de saúde que tem vindo a evoluir para uma grave crise social e económica, em Portugal e em vários países do Mundo, agindo como sempre, com o Ser Humano no centro das suas preocupações. Foram mais de 50.000 as pessoas apoiadas diretamente a nível mundial no âmbito das ações de combate à Covid-19 em 2020, às quais acrescem as cerca de 10.000 pessoas apoiadas pelos equipamentos sociais em Portugal. De notar que logo no início foram doados pela Fundação AMI 20.000 Euros ao Hospital de Santa Maria, via Faculdade de Medicina de Lisboa, para a compra de desinfetantes e material de proteção hospitalar, assim como foram cedidas duas tendas ao Hospital Distrital de Setúbal para atendimento de doentes potencialmente infetados.
  2. A Fundação AMI sempre se regeu, e nunca deixará de se reger, em toda a sua atuação, pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, no respeito total da liberdade do indivíduo.
  3. A Fundação AMI está empenhada em continuar a atenuar as desigualdades e o sofrimento no Mundo, tendo o Ser Humano no centro das preocupações, e a criar um mundo mais sustentável, mais harmonioso, mais inclusivo, mais tolerante, menos indiferente, menos violento. A sua missão é a de levar ajuda humanitária e promover o desenvolvimento humano, tendo em conta os Direitos Humanos e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nas áreas da saúde, social e ambiental, em qualquer parte do mundo, independentemente de raça, género, idade, nacionalidade, língua, política, religião, filosofia ou posição social, olhando para cada pessoa como um ser único, insubstituível, digno de atenção e cuidado.

Lisboa, 16 de Setembro de 2021