A terrível crise esquecida do Uganda

Talk2Me é um projeto ímpar que trata uma das questões que mais afeta a vida da população jovem no Uganda, sendo também um dos temas mais difíceis de abordar. O assunto da saúde sexual e reprodutiva tem sido abordado por alguns parceiros que têm tentado educar a comunidade nos centros de saúde, mas pensemos no seguinte: quantos jovens visitam os centros de saúde por questões como esta? Definitivamente muito poucos.

A melhor abordagem foi adotada pelo Talk2Me , primeiro por ter apostado numa formação intensa a uma equipa de jovens, que garantisse a transferência de conhecimento aos seus pares e à comunidade em geral.

A formação destes jovens incluiu técnicos de terreno, agentes comunitários e um grupo de educadores, conhecidos como “amigos informados”. Foi promovido o envolvimento constante dos jovens da comunidade em programas como “Youth Talks” e encontros nos quais as temáticas relacionadas com a saúde sexual e reprodutiva, como a gravidez na adolescência, o abandono escolar, a interrupção voluntária da gravidez, o abuso de drogas, os casamentos precoces e comportamentos de risco que afetam negativamente a sua vida, foram dramatizados através de poemas e canções, como meio de difundir a informação.

A participação de toda a comunidade em programas de sensibilização sobre tópicos que já eram abordados , ainda que pouco, sobre saúde sexual e reprodutiva, e a utilização do sistema de referenciação criado para as pessoas poderem aceder ao centro de saúde por questões de saúde reprodutiva, foi algo que raramente se tinha feito antes. O Talk2Me  mudou, de facto, a forma como as pessoas pensam, incluindo a minha, e os seus comportamentos relativamente à procura de serviços de saúde reprodutiva e complicações associadas, como doenças sexualmente transmissíveis. Muitos casais também passaram a ir juntos ao centro de saúde a consultas de planeamento familiar e cuidados pré-natais.

Muito teria a dizer sobre o trabalho desenvolvido pelo projeto Talk2Me no campo de Omugo, pese embora alguns desafios que afetaram o desenvolvimento tranquilo dos projetos, como a falta de espaços adequados para jovens, que permitissem recolher e partilhar informação, desenvolver jogos que mobilizassem os jovens e promovessem a disseminação da mensagem por um maior número de pessoas. Este projeto beneficiou amplamente os jovens com complicações na área da saúde sexual e reprodutiva, mas também a comunidade em geral. A pouca atenção dada aos casos já referenciados nos centros de saúde desmotiva as pessoas a recorrerem aos serviços. Este seria um ponto que eu assinalaria no caso de estar prevista uma nova fase do Talk2Me, ou seja, a necessidade de delinear uma estratégia que atraia para as nossas sessões adolescentes grávidas e pessoas com dependências, ter um técnico no centro de saúde atribuído aos casos referenciados pelo Talk2Me, e distribuir alguns kits com preservativos, medicamentos contracetivos e kits de teste. Seria extremamente positivo.

Amaguru Gloria
Técnica de terreno no projeto Talk2Me