Reconhecimentos

AMI na Guiné Bissau
2016
  • No dia em que celebrou o seu 32º aniversário, a AMI recebeu o Prémio Especial de Solidariedade Superbrands / RTP+ 2016.
  • O Kit Salva-Livros recebeu o Prémio 5 Estrelas na categoria “Produto Escolar Solidário, tendo obtido uma classificação global de 8,63 (numa escala de 1 a 10), ficando em 4º lugar no ranking dos  69 vencedores de todas as categorias e tendo sido considerado pelos consumidores como muito bom.
2015
  • A AMI recebeu a Medalha Municipal de Mérito atribuída pela Câmara Municipal de Palmela, pelo trabalho feito ao nível da Cooperação para o Desenvolvimento, atribuído no ano em que se celebrou o Ano Europeu para o Desenvolvimento.
2014
  • No âmbito da Década das Nações Unidas para a Biodiversidade e da Década das Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável, o projeto de florestação Ecoética foi divulgado pela UNESCO em Portugal.
2012
  • A AMI recebeu o Prémio “Melhores Ideias 2012”, atribuído pelo jornal espanhol “Diario Medico” como reconhecimento pela campanha de recolha de radiografias que desenvolve desde 1996.
  • O distrito do Caué, em S. Tomé e Príncipe, onde a AMI trabalha há mais de 10 anos, recebeu pelo 3.º ano consecutivo, o prémio de melhor distrito de saúde. O delegado de saúde entendeu partilhar o mérito com a AMI, reconhecendo o apoio que a instituição tem vindo a prestar à população do distrito de Caué.
2011
  • O distrito do Caué em São Tomé e Príncipe recebeu um Prémio de reconhecimento e mérito na área da saúde, atribuído pelo Ministério da Saúde de São Tomé. O Delegado de Saúde fez questão de partilhá-lo com a AMI pela contribuição para esse resultado.
  • A AMI recebeu, do Governo Regional dos Açores, um Diploma em reconhecimento do contributo da AMI para a assistência e solidariedade social, por ocasião do Dia Internacional da Solidariedade (31 de agosto de 2011).
2010
  • AMI recebe medalha de mérito de proteção e socorro da Proteção Civil Portuguesa pela participação na missão do Haiti.
2009
  • A AMI recebeu em ex-aequo com o Núcleo de Investigação “Faces de Eva” da Universidade Nova de Lisboa e a UMAR – União de Mulheres Alternativa Resposta, o Prémio Municipal Madalena Barbosa à AMI, pelo trabalho de investigação “Mulheres Sem Abrigo na Cidade de Lisboa”, da autoria de Ana Martins (Diretora do Departamento de Ação Social da AMI), que visa dar visibilidade às desigualdades de género na pobreza.
  • A AMI foi premiada com o terceiro lugar dos Prémios Hospital do Futuro, na categoria de Sector do Serviço Social de Saúde, através do projeto Equipa de Rua – Unidade Móvel de Apoio aos Sem-abrigo, que funciona nas cidades do Porto e de Lisboa.
2008
  • Diploma de Honra e Conhecimento atribuído pela Comunidade Islâmica de Lisboa à AMI, em 2008, “pelo inspirador exemplo de generosidade, solidariedade e amor pelo próximo, que diariamente nos transmite o constante combate contra a pobreza, a exclusão social, o subdesenvolvimento, a fome e a doença que, por todo o mundo, destroem Vidas e sufocam o direito das populações às condições mínimas de sobrevivência em resultado das calamidades, das guerras e da intolerância dos Homens. Pela dedicação na assistência médica e humanitária prestada pelos seus membros, movidos pelo mais desinteressado sentimento de fraternidade.”
  • Foi atribuído à AMI pelo ECOSOC, em Sessão de julho de 2008, o Estatuto Consultivo Especial – “NGO in Special Consultative Status with the Economic and Social Council of the United Nations”- junto daquele organismo. Este estatuto permite à AMI designar representantes oficiais junto das Nações Unidas – quer na Sede em Nova Iorque, quer nas representações em Genebra e Viena, com voz ativa nas reuniões e conferências deste organismo internacional.
  • A AMI ganhou o Green Award 2008 na categoria “projetos desenvolvidos”. O prémio é destinado a reconhecer e valorizar as boas práticas, os projetos ambientais e o desenvolvimento sustentável. Esta distinção foi justificada pela originalidade e criatividade com que a AMI concebeu a ideia de utilizar a recolha, reutilização e reciclagem de resíduos como fonte de angariação de fundos.
2007
  • A AMI venceu o Prémio Angelo d´Almeida Ribeiro juntamente com o Banco Alimentar Contra a Fome, atribuído pela Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados. Este prémio é atribuído às instituições pelo mérito no trabalho desenvolvido a favor dos Direitos Humanos.
  • Foram premiados dois projetos sociais da AMI, um atribuído pelo Governo Civil de Lisboa ao projeto “Capacitação de Mulheres para uma Cidadania Ativa” que decorreu em 2004/05, e o outro pelo Governo Civil do Porto ao projeto “Futebol contra a Indiferença” que decorreu ainda em 2006/ 2007, com o apoio do Fundo Nike e RSE Portugal (Responsabilidade Social Empresarial).
  • Prémio Cidadania das Empresas e das Organizações, atribuído pela AESE e pela PricewaterhourseCoopers, em 2007, à AMI, “que se distinguiu por ser uma das organizações não-governamentais mais bem sucedidas na aplicação das suas políticas de responsabilidade social, no conjunto das componentes económica, social e ambiental.”
  • Certificado de Mapa de Boas Práticas de Acolhimento e Integração de Imigrantes em Portugal, atribuído pela Organização Internacional das Migrações (OIM), pelo Alto Comissariado para a Integração e o Diálogo Intercultural (ACIDI) e pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD), em 2007.
2006
  • Diploma de Mérito atribuído à AMI pelo Ministério da Saúde Pública da Guiné-Bissau, em 2006, “pela sua valiosa contribuição e apoio prestado para o sucesso da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, realizada de 15 a 29 de maio de 2006, em prol da sobrevivência das crianças na Guiné-Bissau.”
  • Prémio Valorsul de boas práticas ambientais no encaminhamento de resíduos para destinos finais adequados em 2006.
  • Atribuição à AMI do Estatuto de Observador Consultivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).
2004
  • Prémio “Direitos Humanos” atribuído pela Assembleia da República em 2004.
  • Reconhecimento atribuído pela Commonwealth of Massachusetts pela ação humanitária a favor das vítimas da guerra e da pobreza em todo o mundo, em 2004.
2000
  • Reconhecimento concedido pelo Centro de Ajuda Familiar Colónias Unidas de Oaxaca no México, pelo apoio às crianças com necessidades educativas especiais, em 2000.
  • Atividades da AMI reconhecidas como de Superior Interesse Social por despacho conjunto dos Ministérios da Saúde e das Finanças.
1999
  • Diploma de reconhecimento concedido à AMI, em 1999, pela Corporação Municipal do Distrito Central da cidade de Tegucigalpa, na República das Honduras, pela ajuda humanitária prestada às vítimas do furacão Mitch.
  • Convite enviado à AMI por José Ramos-Horta, Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação de Timor-Leste, para participar nas Cerimónias de Independência de Timor-Leste, em 1999;
1998
  • Prémio Solidariedade atribuído pela Santa Casa da Misericórdia do Barreiro em 1998, “em reconhecimento da sua ação humanitária em prol dos mais desfavorecidos e do seu contributo para o desenvolvimento do espírito solidário.”
1994
  • Prémio “Aboim Sande Lemos – Identidade Portuguesa – 1993”, atribuído pela Sociedade Histórica da Independência de Portugal, em 1994.
1992
  • Carta de agradecimento do Ministério da Saúde da Croácia pela ajuda humanitária prestada pela AMI em 1992.
1990
  • Diploma de “Honra ao Mérito” atribuído à AMI pelo Ministério da Saúde Pública da Guiné-Bissau, em 1990, “por ter demonstrado elevado espírito de cooperação, humanismo, dedicação e altas qualidades profissionais, durante a permanência na República da Guiné-Bissau, ao serviço das populações e da saúde pública”.
1988
  • Diploma “Medalha de Mérito Grau Ouro” atribuído pela Câmara Municipal de Oeiras em 1988.
  • AMI reconhecida como Instituição de Utilidade Pública